Projetos

O Sines Tecnopolo na sua vertente de Inovação e Conhecimento tem desenvolvido ao longo da sua existência um conjunto de projetos em parceria, co-financiados ou na modalidade de prestação de serviços, recorrendo para o efeito a know-how interno ou à sua rede de associados e/ou parceiros. 

Esta vertente tem como principais objetivos promover e servir de interface entre a indústria e a academia (politécnicos e universidades), catalisar o desenvolvimento de projetos em parceria e apoiar a organização e promover o acesso a serviços partilhados, apostando nos últimos anos em projetos ligados à economia do mar.

 

Projetos em execução

logo_startup-zero.png

Designação do projeto | StartUp Zero


Código de Projeto | POCI-03-33B5-FSE-072556


Apoio no âmbito do Sistema de Incentivos | 01/SIAC/2020 - Sistema de Apoio a ações Coletivas – Promoção do espírito empresarial


Objetivo principal | OT 8 – Promover a sustentabilidade e a qualidade do emprego e apoiar a mobilidade laboral


Região de Intervenção | Norte, Centro e Alentejo


Entidades Beneficiárias | Associação BLC3 - Campus de Tecnologia e Inovação; Associação CECOLAB - Collaborative Laboratory Towards Circular Economy; TAGUSVALLEY - Associação para a Promoção e Desenvolvimento do Tecnopolo do Vale do Tejo; Sines Tecnopolo - Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama; SANJOTEC - Associação Científica e Tecnológica


Data de Aprovação | 23-02-2021


Data de Início | 01-04-2021


Data de Conclusão | 30-06-2023


Custo Total Elegível | 844.450,25€


Apoio Financeiro da União Europeia | FSE – 717.782,72€


Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos
O StartUp Zero é um projeto de inovação e empreendedorismo focado na transição para a economia circular que conjuga a aceleração de modelos de negócio circulares por design para a criação de valor de mercado, com a capacitação dos consumidores partindo dos jovens a partir do 3.º ciclo.

compete2020_fse.png
 
logo_atlazul.png

Atlazul

 

O objetivo geral do projeto Atlazul é identificar desafios, oportunidades e gerar redes que promovam a especialização da área transfronteiriça em termos de Crescimento Azul, bem como desenvolver inovações no domínio das políticas de Economia Azul relacionadas com os processos metabólicos que forneçam novas soluções com suporte digital e o aprimoramento do conhecimento terrestre e marinho. 

A Euro região Alentejo-Algarve-Andaluzia, com a participação adicional da Galiza, pretende aprofundar as oportunidades promovendo políticas de Crescimento Azul que explorem as sinergias derivadas de relações construtivas entre os vários sectores que operam nesta área: pesca, aquicultura, energias renováveis marinhas, portos, serviços de navegação, turismo costeiro e navegação, biotecnologia e também o ambiente litoral marinho. 

Este objetivo geral irá reforçar a excelência científica do Espaço de Cooperação Transfronteiriço pela sua vinculação a questões de grande projeção internacional e de prioridade europeia, como sejam:  as soluções digitais para o problema dos processos metabólicos no meio marinho e marítimo-terrestre. 

Cofinanciado pelo programa Interreg VA Espanha-Portugal, POCTEP, Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal, o Atlazul é um projeto liderado pela Secretaria-Geral de Ação Externa (SGAE) do Conselho de Presidência, Administração Pública e Interior da Junta de Andaluzia.

O consórcio deste projeto tem como beneficiários da Andaluzia e Galiza, a Agência Andaluza de Gestão da Agricultura e Pescas (AGAPA), a Agência dos Portos Públicos da Andaluzia (APPA), o Instituto de Investigação e Formação Agrícola e Pesqueira (IFAPA), a Empresa Pública de Turismo e Gestão do Turismo. , SA, Agência Andaluza de Promoção Externa (EXTENDA), Campus de Excelência Internacional do Mar (CEIMAR), Cluster Marítimo-Marinho da Andaluzia (CMMA), Fundação Centro Tecnológico de Aquicultura (CTAQUA), Instituto de Investigação Marinha (IIM), Centro Tecnológico do Mar (CETMAR). Da parte da região Alentejo e Algarve, a Universidade de Évora, Universidade do Algarve, DOCAPESCA Portos e Lotas, SA, Sines Tecnopolo, Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDR Alentejo) e Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Algarve).

 
barra_cofin_fse.png

CONTRATAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS ALTAMENTE QUALIFICADOS (PME ou CoLAB)

Designação do projeto |  Contratação de Recursos Humanos Altamente Qualificados (PME ou CoLAB) – Sines Tecnopolo

 

Código do projeto | ALT20-05-3559-FSE-000057

 

Objetivo principal | Operacionalização das condições indispensáveis para a especialização do Sines Tecnopolo enquanto Incubadora Tecnológica de Base Marítima, melhorando significativamente as condições para o desenvolvimento de produtos e serviços no âmbito da Economia do Mar no médio prazo (3 a 5 anos).

 

Região de intervenção | Alentejo

 

Entidade beneficiária | Sines Tecnopolo – Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama

 

Data da aprovação | 04/06/2020

 

Data de início | 02/09/2020

 

Data de conclusão | 31/03/2023

 

Custo total elegível | 96 678,8€

 

Apoio financeiro da União Europeia | Fundo Social Europeu : 83 026.98€

 

Apoio financeiro público nacional/regional | Orçamento Estado: 14 651.82€

 

Objetivos, atividades e resultados esperados

Criação de um posto de trabalho de um recurso humano altamente qualificado

 
 

Platicemar

 

O Projeto tem como objetivo central potenciar o apoio ao empreendedorismo, para que seja alcançado um modelo de desenvolvimento sustentável na Fileira da Economia do Mar, tendo como base o incremento da cooperação e inovação no setor, decorrente da aplicabilidade das TICE nos processos produtivos, tornando-as operacionalmente mais eficientes e aumentando a sua sustentabilidade, e alicerçando-se nas metas da Estratégia Nacional para o Mar e das estratégias regionais/nacional de especialização inteligente/ RIS3.

 

Teve início em Setembro de 2017 e terminará a Agosto de 2019. 

Cofinanciamento pelo Programa COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas – Promoção do Espírito Empresarial, envolvendo um investimento elegível de 703 mil euros, que resultou num incentivo FEDER de 598 mil euros.

Dinamizado pela Inova-Ria, conjuntamente com o Fórum Oceano, a ACIFF, o NERLEI, e o SINES TECNOPOLO.

 

Objetivos:

- Facilitar e apoiar o aparecimento de novas empresas focadas em atividade de médio-alto conhecimento e/ou tecnologia, alinhadas com as necessidades reais e específicas de um tecido empresarial estabelecido na economia do mar

- Preparar os empreendedores para os desafios de iniciar uma nova atividade e lançá-la no mercado;

- Promoção do empreendedorismo de base tecnológica na economia do mar, do seu crescimento e afirmação internacional.

Visite o site oficial do projeto >

logos_platicemar_financiamento.png
logo_alentejo-azul.png

ALENTEJO AZUL

O projeto Alentejo Azul - Programa de Empreendedorismo e Inovação do Mar e Recursos Hídricos tem como objetivo promover, incentivar e apoiar a criação e desenvolvimento de empresas inovadoras de base tecnológica e criativa na área do mar e dos recursos hídricos do Alentejo.

Este projeto consiste na criação e concretização de um programa estruturante e integrado na criação e consolidação de start-ups de base tecnológica e criativa nos sectores estratégicos dos domínios temáticos definidos na RIS3 do Alentejo 2020, ou em domínios ou setores de atividade que se encontram associados a estratégias agregadoras nacionais, de relevância regional, como a “Economia do Conhecimento”, a “Economia Criativa”, a “Economia Verde” ou a “Economia Azul”.

 

Visa particularmente estimular a atuação na temática do mar e dos recursos hídricos, materializando-se num programa de criação de novas empresas e apoio à inovação empresarial no setor, com ações integradas e promovido por uma parceria forte, pretendendo afirmar-se como uma referência nacional incontornável, de visibilidade internacional, da economia azul.

Esta iniciativa pretende impulsionar o empreendedorismo direcionado para atividades e setores com fortes dinâmicas de crescimento e intensivos em tecnologia, conhecimento e criatividade, em particular por via do apoio a “start-ups” e “spin-offs”, enquanto veículos privilegiados para a incorporação de tecnologia e de conhecimento no tecido económico regional.

O Alentejo Azul é promovido pela ADRALl e Sines Tecnopolo, com co-financiamento pelo Fundo Europeu do Desenvolvimento Regional no âmbito do programa ALENTEJO 2020.

 
logo_ena.png

INTERNACIONALIZAR + ESTAÇÕES NÁUTICAS DO ALENTEJO

O projeto tem como objetivo central promover a internacionalização das Estações Náuticas do Alentejo (Lago de Alqueva – Moura, Reguengos de Monsaraz e Sines), enquadradas no domínio da RIS3 Alentejo, através do:

- Estímulo a iniciativas coletivas inovadoras, através do desenvolvimento de processos colaborativos e partilha de conhecimento para a internacionalização;
- Desenvolvimento de mecanismos inovadores na prospeção, conhecimento e acesso a novos mercados internacionais;
- Promoção internacional dos destinos turísticos associados às Estações Náuticas do Alentejo.

Este projeto visa a valorização e promoção internacional conjunta das estações náuticas do Alentejo, estimulando o aumento das exportações das empresas nelas integradas, via aumento das receitas turísticas internacionais.

Todo o projeto assenta na criação de notoriedade e visibilidade internacional da marca Alentejo, contribuindo com isso para tornar o turismo na região do Alentejo mais competitivo.

Este projeto é promovido pelo Sines Tecnopolo e ADRAL, com co-financiamento pelos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento do programa ALENTEJO 2020.

 
logo_entrenos-e8g.png

ENTRE NÓS - E8G

O Projeto “Entre Nós-E8G”, tem como objetivo a promoção da Arte e Desporto como forma de inclusão para crianças dos 6 aos 25 anos de contextos socioeconómicos vulneráveis.

Conta com ações que potenciam a participação e cidadania, voluntariado e contribuição para a prossecução dos objetivos inerentes à política de igualdade de género e de oportunidades.

O consórcio do projeto tem a Câmara Municipal de Sines como entidade promotora e o Sines Tecnopolo como entidade gestora. Integram esta parceria, o Agrupamento de Escolas de Sines, a Escola Secundária Poeta Al Berto, a CPCJ de Sines, a ESPIGA – Cooperativa de Solidariedade Social, a Contra-Regra / Teatro do Mar, a Litoral Alentejano Solidário, o Vasco da Gama Atlético Clube, a Associação Pró Artes de Sines, a Associação Desportiva + Inclusão e Associação Mais para a Juventude Sineense.

O projeto “Entre Nós – E8G” resulta da candidatura ao Programa “Escolhas” e é cofinanciado pelo Fundo Social Europeu no âmbito do POISE - Programa Operacional Inclusão Social e Emprego / Portugal 2020.

Para mais informações sobre o projeto “Entre Nós – E8G” por favor contactar:  entrenos.e8g@sinestecnopolo.org

logo_aqua++.png

AQUA+

O objetivo central é a promoção do espírito empresarial através da dinamização da inovação e empreendedorismo, com vista à capacitação e ao aumento da competitividade das empresas já existentes e à criação de novas empresas ligadas ao meio aquático.

 

O AQUA+ visa o desenvolvimento de atividades de capacitação e coopetição, envolvendo empresas existentes, empreendedores e jovens em idade escolar, por forma a desenvolver competências para aumentar a competitividade dos atores ligados ao meio aquático do território, fomentando o desenvolvimento de uma região inovadora, orientada para a ação e desenvolver capacidades empreendedoras nos jovens estudantes, incentivando o espírito empreendedor, promovendo a atitude e consciência das oportunidades potenciais de carreira ligadas ao meio aquático. Este projeto enquadra-se no plano de desenvolvimento local de base comunitária do Alentejo Litoral.

 

O projeto é cofinanciado pelo Mar 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas.

 
logo_basepoint.png

BASEPOINT

 

O projeto BASEPOINT tem como objetivo validar o desempenho de uma nova filosofia de módulo de conversão de energia ("Power-take-off") para dispositivos de energia das ondas.

 

O módulo consiste de uma turbina desenvolvida no contexto do dispositivo "Symphony" pela empresa holandesa Teamwork Technology, parceira do projeto BASEPOINT. Além de validar as caraterísticas da turbina, será validado o comportamento dos componentes eléctricos e optimizado o controlo para diferentes regimes de funcionamento.

 

O projeto também inclui o desenho de um casulo para o módulo de conversão, para integração num dispositivo submerso. O projeto é encarado como o primeiro passo para o desenvolvimento e implementação da tecnologia "Symphony" em parceria com Holanda em Portugal.

O projeto BASEPOINT é uma colaboração da empresa in2sea com a Mecwide e o Sines Tecnopolo e é co-financiado pelo programa Fundo Azul.

Saiba mais >

basepoint_cofinanciamento_barra.png

Escola Azul

O projeto Escola Azul pretende distinguir as escolas que trabalham o oceano e comprometê-las a participar decisivamente na formação de jovens com maior literacia do oceano. É coordenado pela Direção-Geral de Política do Mar e conta com o apoio científico e de cooperação da Ciência Viva. O Sines Tecnopolo assume a coordenação regional do Alentejo.

Literacia do oceano define-se como a compreensão da influência do oceano em nós e da nossa influência no oceano. Esta compreensão não deve ser exclusivamente teórica. Uma pessoa literata no oceano traduz os seus conhecimentos em mudanças de atitude efetivas que servem de impulso à construção de uma sociedade mais azul. 

Com este objetivo em vista, procura-se estimular as escolas a trabalhar o oceano de um modo estruturado, interdisciplinar e vertical. Pretendemos que o trabalho em torno do oceano não se restrinja ao contexto de sala de aula e que tenha reflexo a nível social, quer a partir do envolvimento das comunidades locais, quer na participação de diferentes atores do setor do mar. 

Este projeto é dirigido a instituições de ensino, públicas ou privadas, que queiram ou estejam a desenvolver projetos ligados ao oceano. Conta com a parceria de uma grande variedade de entidades ligadas ao mar, salientando desde logo as diferentes dimensões em que o oceano pode ser trabalhado.

 

Visite o site oficial do projeto >

ESPOBAN - Rede de Business Angels Espanha-Portugal

O principal objetivo do Projeto ESPOBAN é originar e promover o acesso ao investimento privado de projetos de negócios espanhóis e portugueses, para que essas iniciativas tenham a possibilidade de obter financiamento privado através de investidores nacionais e internacionais, incentivando o empreendedorismo, a consolidação dos projetos empresariais, o aumento da competitividade destas iniciativas empresariais e, portanto, a redução do desemprego, que será alcançada através do contributo do capital privado em ideias e projetos empresariais para que possam ser realizados.

A Rede de Business Angels de España – Portugal pretende:

- Oferecer uma alternativa de investimento para iniciativas empresariais na fase de desenvolvimento.

- Concentrar as possibilidades de investimento.

- Fornecer uma plataforma de experiência que beneficie os investidores e empreendedores.

- Estimular a procura de financiamento privado através de ações promocionais.

- Melhorar a qualidade e confiabilidade dos fluxos de informação entre o investidor e o empreendedor.

O projeto será desenvolvido nas províncias ocidentais da Andaluzia, Huelva, Sevilha, Cádiz e Córdoba em Espanha, e nas regiões do Algarve e do Alentejo em Portugal. As entidades que desenvolverão o projeto ESPOBAN em cada uma de suas áreas de ação são da parte espanhola o CEEI Bahía de Cádiz, a Diputación de Huelva, a Diputación de Córdoba e Prodetur da Diputación de Sevilha, e da parte portuguesa a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) e o Sines Tecnopolo.

O projeto ESPOBAN é cofinanciado pelo INTERREG V A - Espanha-Portugal (POCTEP) que visa facilitar o acesso das empresas e dos empreendedores das regiões do Algarve, Alentejo e Andaluzia ao investimento privado.

 

Visite o site oficial do projeto >

logo_focomar2.png

FOCOMAR

Promoção da cooperação entre os Portos e o tecido empresarial, nas regiões abrangidas, de forma a melhorar os seus índices de competitividade através da inovação na área da logística e na cadeia de valor das empresas.

Objetivos:

- Divulgação da oferta atual de serviços marítimos de curta distância

- Conhecer a procura das empresas no que toca a este tipo de serviços

- Cooperação e padronização operacional, mediante a procura do tecido empresarial, com vista a melhorar a transferência de transporte terrestre de carga para serviços inter-modelares

- Integração do transporte terrestre e marítimo através da promoção de colaborações entre os diferentes agentes de transporte

- Comunicar de forma eficaz as vantagens dos Serviços Marítimos de Curta Distância

O projeto FOCOMAR é co-financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e Programa Interreg V- A Espanã-Portugal (POCTEP) 2014-2020 que visa melhorar a competitividade no setor da logística e transporte marítimo.

Visite o site oficial do projeto >

SPEED TALENT

O projeto SPEED TAlent pretende promover o aproveitamento das sinergias, competências e capacidade instalada das instituições que integram o ecossistema de inovação regional, parceiras do projeto, para a promoção do empreendedorismo qualificado e criativo na região Alentejo.

Para tal realização, tem como objetivos operacionais:

- Criação de uma rede de balcões de contacto direto com os futuros empreendedores e promotores de projetos inovadores baseados em média e média-alta tecnologia;

- Consolidar o trabalho já realizado por cada um dos parceiros na área do estimulo ao espirito empresarial, reforçando o trabalho em parceria, no apoio direto ao empreendedorismo qualificado e criativo;

- Aumentar as competências dos técnicos das entidades parceiras na temática do projeto;

- Promover e divulgar o tema do empreendedorismo e estimular iniciativas empresariais ligadas às áreas mais tecnológicas;

- Incentivar a criação de empresas de base tecnológica no Alentejo, tendo como recurso as incubadoras de alguns dos parceiros;

- Atrair empreendedores para a região, apoiando a criação e instalação de empresas de base tecnológica;

- Implementar a nível regional iniciativas que promovam a geração de ideias inovadoras, e a criação de novas empresas;

- Promover a transferência de ciência e tecnologia dos centros de saber para as empresas, aproximando instituições de ensino superior, jovens estudantes e empresas.

INALENTEJO – Sines Turismo Industrial Sustentável

 

O projeto de Turismo Industrial em Sines decorre num contexto de cultura colaborativa, de trabalho em rede, de complementaridade entre setores de atividade e entre competências, de valorização recíproca das organizações envolvidas, tendo como fim último o desenvolvimento sustentável do território.

 

Com vários parceiros envolvidos (CM Sines, Galp, Porto de Sines, EDP, Doca Pesca, REN, IP Beja, PMEs, entre outros), este projeto visa a interação entre a indústria, a cultura, o turismo e o território, contribuindo para o desenvolvimento sustentável, nomeadamente do turismo, para a promoção da qualidade de vida das populações e para a afirmação de um destino turístico de excelência.

 

Surgiu na sequência de um outro denominado “Aportar Sines”, ainda em curso e liderado pela Câmara Municipal de Sines, que nasce em paralelo com uma investigação desenvolvida no âmbito de uma tese de doutoramento, e que tem como objetivos criar e capacitar uma rede de parceiros para a produtização turística dos recursos industriais e simultaneamente desenvolver uma plataforma que disponibilize o espólio relacionado com o processo de industrialização em Sines, permita a realização de visitas virtuais e a marcação de visitas.

 

Visite o site oficial do projeto >

 

Projetos concluídos

RCI - Rede de Cooperação para a Internacionalização

 

Consistiu na elaboração de um diagnóstico de condições de internacionalização das 60 PME participantes, para a aceleração empresarial, com vista à sua internacionalização propondo ações de melhoria e disponibilizando produtos e serviços adequados às suas necessidades. Apoiadas nos diagnósticos foram executadas estratégias/ações coletivas que permitiram alinhar e alavancar as iniciativas de internacionalização das PME.

 

Projeto executado pelo Sines Tecnopolo e promovido pela Associação

Empresarial de Sines.

 

Datas _ 2013 - 2015

Orçamento _ 123.695€

Orçamento Executado _ 123.695€

Taxa de Execução _ 100%

logo_entrenos.png

ENTRE NÓS - E7G

O projeto tem como objetivo a promoção da inclusão social de crianças e jovens de contextos socioeconómicos vulneráveis, reforçando a importância da igualdade de oportunidades e coesão social.

O projeto contempla atividades relacionadas com o mar, com o objetivo de potenciar a inclusão e consciencialização social de jovens dos 6 aos 25 anos contribuindo para o seu desenvolvimento pessoal, social e empreendedor de modo a que estes possam construir e encontrar o seu projeto de vida.

O consórcio do projeto tem a Câmara Municipal de Sines como entidade promotora e o Sines Tecnopolo como entidade executora. São parceiros a Associação Armadores Pesca Artesanal Costa Vicentina em Sines, a associação Resgate, a Associação Caboverdiana de Sines e Santiago do Cacém, o Agrupamento de Escolas de Sines, a Escola Secundária Poeta Al Berto e a CPCJ de Sines.

O projeto “ENTRE NÓS - E7G” resulta da candidatura ao Programa Escolhas e é cofinanciado pelo Fundo Social Europeu no âmbito do POISE - Programa Operacional Inclusão Social e Emprego / Portugal 2020

SIAC - Alentejo Exportar Melhor

 

O projeto visa a concretização de um objetivo comum, mais e melhores exportações de produtos e serviços com origem nas sub-regiões do Alentejo e a supressão de falhas de mercado e insuficiências sistémicas que ainda afetam um conjunto alargado das suas empresas.

 

Através de diferentes atividades de promoção, divulgação e de imagem em quatro diferentes mercados – Marrocos, Alemanha, E.U.A e Suécia, tendo por base a internacionalização dos sectores mais importantes e com maior relevância para a economia da Região, irá contribuir para um Alentejo mais qualificado, inovador e coeso, com um desenvolvimento suportado no acréscimo de competitividade das micro, pequenas e médias empresas e na criação de riqueza e de postos de trabalho qualificados.

 

Visite o site oficial do projeto >

Corredor Azul – FEE: Fundo de Eficiência Energética

 

O projecto “Fundo Eficiência Energética” assentou em seis actividades distintas com tarefas subjacentes de modo a alcançar a finalidade a que se propôs: aferir a qualidade energética de um grupo específico de habitações, de modo a operacionalizar não apenas o modelo mas também a disseminar a prática no que se refere à premência de se qualificar o grau de eficiência energética de cada habitação. Assim, das seis actividades, quatro referem-se a dinamização do fundo e duas a questões relacionadas com coordenação e avaliação.

 

A metodologia aplicada divide-se em duas grandes fases: a primeira, de divulgação, promoção e sensibilização à temática em geral, seguida da fase de implementação, caracterizada essencialmente pela realização dos questionários/estudo, a aplicar ao universo de 500 habitações do Concelho de Sines. Seguida de uma segunda fase, descrita pela elaboração de relatórios individuais sobre cada uma das habitações analisadas. Que resultou a elaboração de um relatório geral sobre o tecido habitacional do Concelho de Sines.

 

Importa referir que a metodologia adoptada teve como principal foco o cumprimento dos objectivos gerais e específicos propostos, de forma a garantir que fossem alcançados todos os indicadores, com particular destaque para o indicador de estudos apresentados, mais concretamente, a apresentação de 500 estudos.

 

Projeto executado pelo Sines Tecnopolo e promovido pela Câmara Municipal de Sines

 

Datas _ 2011 - 2014

Orçamento _ 205.000€

Orçamento Executado _ 205.000€

Taxa de Execução _ 100%

Corredor Azul – FAT: Fomento de Absorção de Tecnologia

 

Elaboração de um diagnóstico para cada empresa aderente, que fará a avaliação das suas condições tecnológicas e apresentará medidas corretivas que permitam uma requalificação da atividade e do negócio da respetiva empresa, potenciando a sua produtividade e competitividade.

 

No final do processo foi elaborado um relatório individual para cada empresa, entregue ao respetivo empresário/gerente sem quaisquer custos, e contendo medidas corretivas que permitiram requalificar a atividade e processos da empresa, reforçando a sua produtividade e competitividade.

 

Projeto executado pelo Sines Tecnopolo e promovido pela Câmara Municipal de Sines

 

Datas _ 2011 - 2014

Orçamento _ 290.000€

Orçamento Executado _ 290.000€

Taxa de Execução _ 100%

Corredor Azul – Empreender na Escola

 

Dentro da Rede Corredor Azul (projeto transversal de cooperação, que integra os municípios de Sines, Santiago do Cacém, Vendas Novas, Montemor-o-Novo, Arraiolos, Évora, Estremoz, Vila Viçosa e Elvas, o Sines Tecnopolo foi a entidade executora do Projeto “Empreender na Escola” que visou o fomento do empreendedorismo em 12 escolas através deste programa de educação para o empreendedorismo e que serviu para desenvolver, em 300 jovens do 9º e 10º, competências empreendedoras.

 

"Empreender na Escola" baseou-se na constituição de uma empresa na sala de aula e propôs aos alunos gerir a sua própria empresa durante um ano letivo. A constituição não era formalizada mas os alunos simularam todo o processo de criação e de gestão da mesma. Os alunos, enquanto sócios desta empresa, fizeram negócios reais com dinheiro real. A empresa criada em aula estabeleceu relações comerciais com outra "empresa", com o objetivo de "importar e "exportar" produtos entre si. Os produtos importados foram comercializados no mercado local e posteriormente procedeu-se à análise dos resultados e à repartição dos lucros obtidos, como em qualquer empresa real.

 

Projeto executado pelo Sines Tecnopolo e promovido pela Câmara Municipal de Sines

 

Datas _ 2011 - 2013

Orçamento _ 227.250€

Orçamento Executado _ 227.250€

Taxa de Execução _ 100%

INTERREG IV C – EIBT SUDOE: Cooperação Transnacional para a geração e desenvolvimento de spin-offs de base tecnológica (EIBT) e a sua integração económica na área SUDOE

 

Melhorar os sistemas de acompanhamento da criação e desenvolvimento de Spin-Offs de Base Tecnológica nas regiões do SUDOE. Pretendeu-se contribuir assim para um aumento significativo da geração e consolidação de novas empresas de base tecnológica e a sua integração no tecido económico regional e transnacional.

 

Assim, podemos afirmar que o projeto serviu os seguintes objetivos:

- Transformar a região do SUDOE numa economia inovadora, de forma a reduzir o diferencial existente com outros espaços da União Europeia;

- Tirar o máximo proveito do esforço realizado nos últimos anos nas regiões do SUDOE na criação de infraestruturas de I+D optimizando os resultados obtidos;

- Contribuir para a criação e para o crescimento das EIBT gerando actividades empresariais de alto conteúdo tecnológico e incorporando-as ao tecido económico tradicional;

- Melhorar a metodologia de apoio para a identificação, criação e desenvolvimento de spin-offs;

- Ajudar as spin-offs a desenvolverem-se e entroncar com o tecido económico regional e transnacional;

- Desenvolver uma “comunidade de EIBT do SUDOE” que facilite a relação destas empresas entre si e com o tecido económico pré-existente, e potencie a cooperação inter-regional e transnacional;

- Contribuir para um tecido empresarial mais inovador através da cooperação entre o EIBT e as empresas no conjunto do SUDOE.


Visite o site oficial do projeto >

 

Datas _ 2010 - 2013

Orçamento _ 100.000€

Orçamento Executado _ 107.990€

Taxa de Execução _ 108%

Projecto M - Mulheres empreendedoras

 

O Conduzir e apoiar o empreendedorismo feminino na criação do próprio emprego, incentivar o associativismo e a criação de redes, favorecendo o autoemprego, a capacidade empresarial e a qualidade da participação das mulheres na vida ativa.

 

O Projeto M é um programa de apoio ao empreendedorismo feminino que tem como objectivo capacitar 12 mulheres para a consecução dos seus projetos profissionais, apoiando na sua definição e fornecendo as ferramentas necessárias e adequadas ao desenvolvimento e sustentabilidade das suas microempresas.

 

Saiba mais >

SIAC – Inovar em Rede

 

Contribuir para a promoção do empreendedorismo e do espírito empresarial, e a promoção e apoio à propriedade industrial através da dinamização de um conjunto articulado de atividades que de forma coerente e complementar visam reforçar e criar condições para tornar as regiões da Beira Interior, do Médio Tejo e do Litoral Alentejano mais empreendedoras e mais competitivas.

 

Durante a sua aplicação foram realizadas diversas atividades (Workshops, Seminários, Laboratórios de Ideias, entre outros) com alunos de instituições escolares em Sines e em Beja. Foram “trabalhados” alunos com diversos perfis, nomeadamente de cursos profissionais, ensino regular, ensino superior ou cursos IEFP.

 

Datas _ 2009 - 2013

Orçamento _ 158.707,23€

Orçamento Executado _ 122.698,24€

Taxa de Execução _ 77%

INTERREG IV C – TRACC: Techniques Routières Adaptées au Changement Climatique

 

Desenvolver e difundir conhecimentos sobre as técnicas rodoviárias adaptadas às alterações climáticas no território SUDOE. Trata-se de conhecer, experimentar, comparar e desenvolver as diferentes técnicas sustentáveis no sector rodoviário utilizadas nos três países que participam no projeto.

 

Para alcançar esse objetivo, TRACC parte, numa primeira fase do projeto, do estudo e análise do que se faz actualmente em matéria de técnicas rodoviárias adaptadas às alterações climáticas no Espaço SUDOE, do ponto de vista técnico, ambiental e económico. Numa segunda fase, analisar-se-á uma série de obras experimentais já realizadas e colocar-se-ão em prática outras novas com vista a obter um primeiro balanço dos resultados alcançados.

Estes resultados permitirão elaborar uma série de estudos de formulação ou de viabilidade, bem como estudos do impacto socio-económico e ambiental que implica a utilização recorrente das técnicas rodoviárias adaptadas às alterações climáticas em toda a área do SUDOE.

 

Finalmente, graças às conclusões obtidas com as anteriores fases do projecto, será elaborado um guia de ajuda para a tomada de decisões relacionadas com as técnicas e os produtos respeitadores do meio ambiente dirigido aos organismos que gerem as estradas. O resultado esperado é o de que as pessoas que tomam as decisões em matéria de obras rodoviárias no Espaço SUDOE tenham cada vez mais em conta as normas do desenvolvimento sustentável no seu sector.

 

Visite o site oficial do projeto >

 

Datas _ 2009 - 2013

Orçamento _ 128.600€

Orçamento Executado _ 128.600€

Taxa de Execução _ 100%

PROVERE – Alentejo Litoral e Costa Vicentina

 

O projeto consistiu na elaboração de um programa de formação direccionado para as populações do Alentejo Litoral e da Costa Vicentina, de forma a preparar os actores locais, directa e indirectamente relacionados com o turismo, para contribuírem para o desenvolvimento turístico da área de intervenção, rentabilizando, simultaneamente, em proveito próprio, as mais-valias do próprio processo. Esta rentabilização inclui a ocupação dos postos de trabalho criados pelos promotores turísticos, mas sobretudo a autocriação de postos de trabalho e a valorização dos negócios já existentes, numa atitude de inovação e empreendedorismo.

 

O principal objetivo foi qualificar os recursos humanos do sudoeste de Portugal (Alentejo Litoral e Costa Vicentina) directa e indirectamente relacionados com o turismo, de forma a contribuir para a construção de perfis de competências que permitem à população da área de intervenção desempenhar correctamente o seu papel de anfitriã, rentabilizando, em simultâneo, as mais-valias do processo de desenvolvimento turístico.

 

Visite o site oficial do projeto >

EQUAL - B-TECH

 

Este projeto teve como objetivos o fomento ao empreendedorismo em jovens qualificados e à criação de empresas de base tecnológica, fomento do empreendedorismo junto dos investigadores universitários e valorização da investigação desenvolvida no seio das universidades para o meio empresarial, criação de um modelo de serviço de apoio à constituição de novas empresas de base tecnológica (desenvolvimento da ideia, pesquisa, teste de mercado e formalização, capacitação de técnicos e instituições no fomento do empreendedorismo e criação de negócio, criação de novos mecanismos de financiamento, de um modelo de apoio à consolidação e dinamização de novas empresas de base tecnológica, assim como a promoção do espírito de cooperação, parceria e partilha de práticas e experiências entre novas empresas de base tecnológica como forma de potenciar a sua consolidação, criando grupos de reflexão informal entre novos empreendedores.

 

Datas _ 2009

Orçamento _ 6.253,22€

Orçamento Executado _ 4426,22€

Taxa de Execução _ 62%