Sines Tecnopolo na Conferência dos Oceanos das Nações Unidas

O Sines Tecnopolo, representado pelo seu diretor executivo, Tiago Santos, esteve hoje presente no palco da Wave Room no espaço One Sustainable Ocean da Conferência dos Oceanos das Nações Unidas em Lisboa, no Parque das Nações.

01/07/2022

Sines Tecnopolo na Conferência dos Oceanos das Nações Unidas

Com um papel relevante na promoção, dinamização e apoio a iniciativas que promovam o crescimento sustentável da economia azul na região Alentejo, a comitiva representante da região, representada pela CCDR Alentejo, Sines Tecnopolo, ADRAL, Universidade de Évora, Administração dos Portos de Sines e do Algarve, Comunidade Portuária e Logística de Sines, Turismo do Alentejo, Município de Odemira, Santiago do Cacém e Sines, através do painel “Alentejo Azul - A portrait of the Blue Economy in Alentejo”, apresentou os trabalhos que cada uma destas instituições tem vindo a realizar para promover o crescimento e desenvolvimento da economia azul na região, focando-se no importante papel que a economia azul representa para o desenvolvimento regional e no potencial que este setor ainda representa tendo em consideração as novas oportunidades de negócio num contexto de um oceano sustentável.


O diretor executivo do Sines Tecnopolo, Tiago Santos, aproveitou esta iniciativa para reiterar o compromisso do Sines Tecnopolo para com o crescimento sustentável da economia azul, “O Sines Tecnopolo pretende reforçar a aposta na Economia Azul contribuindo para o crescimento e desenvolvimento sustentável da economia azul no Alentejo e em Portugal, promovendo o desenvolvimento de novas parcerias e projetos regionais, nacionais e internacionais que contribuam para a aquisição de novas competências e o desenvolvimento de ideias de negócio na região.”


Lar do maior porto de águas profundas do país, o Alentejo tem uma das regiões costeiras mais bem preservadas da Europa, com diversos parques e reservas naturais e 170 km de biodiversidade costeira. O Alentejo pretende assim contribuir para o desenvolvimento de um plano de ação para o oceano, e para a dinamização de iniciativas globais e regionais que permitam dinamizar as comunidades locais e o setor privado, de modo a contribuir para a conservação e desenvolvimento sustentável dos oceanos, mares e recursos marinhos.


A Conferência dos Oceanos das Nações Unidas, coorganizada pelos governos de Portugal e do Quénia, acontece num momento em que o mundo promove esforços para mobilizar, criar e promover soluções que permitam alcançar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas antes de 2030.